Planos de saúde terão limite de prazo para marcar consulta médica

argaiv1484

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) estabeleceu prazos máximos para a marcação de consultas e exames. As medidas começam a valer em 90 dias.

Paula faz parte do grupo de 60 milhões de brasileiros que tem plano de saúde. E reclama: toda vez que precisa de um médico, tem de esperar muito. A consulta para a mãe que sofre de dores na coluna com um especialista do convênio demorou quase dois meses.

“Esse tempo todo que ela ficou esperando foi à base de remédio para ver que tratamento ela faria para melhorar a dor que ela estava sentindo”, contou.

A partir de setembro, os planos de saúde terão prazos para atender os conveniados.

Para pediatria, clínica médica, cirurgia-geral, ginecologia e obstetrícia, os pacientes têm de ser atendidos em até 7 dias úteis; consultas com fonoaudiólogos, nutricionistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas têm de obedecer a um prazo de até 10 dias; outras especialidades, como cardiologia, até 14 dias úteis.

O tempo máximo para resultado de exames de laboratório é de 3 dias. Outros diagnósticos, até 10 dias. Cirurgias sem urgência devem ser marcadas em até 21 dias.

Mas a resolução da Agência Nacional de Saúde não garante atendimento com o médico da preferência do paciente. Para cumprir o prazo para a consulta e os outros atendimentos, o próprio convênio passará a indicar o profissional ou a clínica para o conveniado.

A ANS diz que o paciente pode procurar a agência para reclamar e que vai punir quem não cumprir as regras. “Elas variam desde multa até evoluir para uma visita técnica avaliando as condições daquela operadora atender os beneficiários. Ou até a liquidação da operadora, caso nenhuma dessas etapas seja cumprida”, explicou o diretor-presidente da ANS, Maurício Ceschin.

Se o prazo para marcar consulta não for cumprido, o consumidor ainda poderá procurar um médico não credenciado, pagar a consulta e exigir o reembolso.

A Associação Brasileira de Medicina de Grupo declarou que as empresas de planos de saúde já praticam grande parte do que foi decidido pela ANS.

Comentários  

 
# elisangela da s conc 28-09-2011 19:36
fui para fazer uma cirurgia que eu ja estava esperando ha ums meses,me internaram quando chegou na hora de realizar a cirurgia cancelaram pois faltava material cirurgico e agora eu não sei o que fazer
Responder | Responder com citação | Citar
 
 
# Bruno Lemos 29-09-2011 08:55
Elisangela,

É responsabildiad e do plano de saúde arcar com os custos dos materiais e do hospital fornecê-los durante a cirurgia.

Portanto, é preciso saber de quem foi a falha: do hospital, que não cuidou de providenciar o material, ou do plano, que não autorizou sua compra/utilização.

Depois de obtida esta informação, você poderá requerer que o responsável arque com os danos que esta conduta negligente te causou.

Um abraço,
Bruno Lemos
Responder | Responder com citação | Citar
 
 
# antonio gonzaga 11-07-2012 10:11
precuro a lista dos plano de saude suspenso pelo governo federal eu esto querendo a lista .
Responder | Responder com citação | Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Notícias da Saúde

Feed